Pre-loader
AGO 05

Cirurgia de Cisto no Ovário por Videolaparoscopia: 10 Vantagens

0 comentários   |   Postado por Dra. Camila Bonacordi

Mulher com as mãos no abdome, demonstrando dor

Agende uma consulta com a Dra. Camila para informações sobre os tratamentos mais indicados para o seu caso e dúvidas sobre cistos nos ovários.

Para contato, clique aqui ou no símbolo de Whatsapp ao lado.

A Dra. Camila Bonacordi é Ginecologista e Obstetra pela UNICAMP e Especialista em Cirurgia Ginecológica Minimamente Invasiva e Endometriose pelo Hospital Pérola Byington.

Seu atendimento é totalmente focado no bem estar e na saúde da mulher, incluindo consultas de rotina, orientações, tratamentos e cirurgias ginecológicas minimamente invasivas.

 

Introdução 

Os cistos ovarianos são formações contendo líquido no interior dos ovários. Eles são achados muito comuns em exames de ultrassom de rotina nas mulheres. 

No entanto, existem vários tipos de cistos de ovário, com diferentes tamanhos e características específicas. 

Em certos casos, é necessária a cirurgia para retirada de cisto no ovário. Atualmente, com o avanço da tecnologia, podemos realizar essa cirurgia de maneira minimamente invasiva. 

O uso da videolaparoscopia (laparoscopia) trouxe diversas vantagens para a cirurgia de cisto de ovário.

Dentre estas vantagens destacam-se: menor cicatriz, tempo de internação hospitalar, sangramento e tempo de recuperação.

Todas essas vantagens resultam em uma cirurgia menos dolorosa e de recuperação mais tranquila para a paciente.

Neste artigo, vou explicar tudo sobre cisto no ovário e as 10 vantagens de se realizar uma cirurgia de cisto no ovário por videolaparoscopia.

O que é um cisto no ovário?

Os cistos são formações de conteúdo líquido que se formam nos ovários. A partir das características de cada um, classificamos eles em diferentes tipos.

Quais os tipos de cisto no ovário?

Os cistos ovarianos podem ser: funcionais, benignos e malignos. 

Cistos Funcionais:

Os cistos de ovário funcionais são aqueles formados todos os meses pelos ovários durante o período reprodutivo da mulher.

Ou seja, são normais para todas as mulheres e não representam uma ameaça. 

A grande maioria regride espontaneamente, sendo necessária cirurgia apenas em determinados casos.

Em casos de ruptura do cisto, dor aguda ou persistência (por mais de 6 semanas) em cistos maiores que 5cm, pode ser necessária uma cirurgia.

São exemplos de cistos funcionais: cisto folicular, cisto hemorrágico e cisto de corpo lúteo. 

Cistos Benignos:

Os cistos de ovário benignos são muito comuns em mulheres em idade reprodutiva. Ainda não foi possível definir a sua origem, mas alguns estímulos podem provocam seu crescimento. 

São exemplos de cistos benignos: teratoma, cisto simples e endometrioma. 

  • Teratoma:

São cistos da linhagem de células germinativas. Ou seja, podem conter gordura, cartilagem, cabelo e até mesmo dentes em seu interior! 

Isso porque a linhagem germinativa é composta células capazes de formar os diferentes tecidos do corpo!  

São os cistos benignos mais comuns das mulheres jovens. Geralmente tem indicação cirúrgica quando maiores que 3 a 4 cm. 

  • Simples:

Cisto com conteúdo citrino em seu interior secundários aos cistoadenomas serosos do ovário. 

A cirurgia é indicada quando maiores que 7cm associado a dores abdominais ou quando maiores que 10cm, mesmo nas mulheres assintomáticas. 

  • Endometrioma:

É um cisto composto por tecido endometrial (camada interna do útero). Ou seja, é uma manifestação de endometriose no ovário. 

Sua cápsula pode estar fortemente aderida ao tecido ovariano sadio com folículos, sua retirada pode diminuir a reserva ovariana (função repordutiva). 

É indicada cirurgia quando maiores que 5cm, quando causam dores pélvicas fortes, refratárias ao uso de medicamentos ou em alguns casos de infertilidade secundária a endometriose. 

Cistos Malignos:

São cistos que apresentam características específicas (irregularidade, multiseptações, projeções sólidas, conteúdo sólido-cístico, fluxo intenso ao doppler) que sugerem a presença de malignidade.  Considera-se ainda outros fatores como a idade, marcadores tumorais, presença de linfonodomegalia, ascite, entre outros. 

Vale ressaltar que mesmo com algumas características sugestivas, o diagnóstico de certeza ocorre apenas após a biópsia/cirurgia.

Devem ser operados pelo Cirurgião Oncológico ou pela equipe de Oncologia Pélvica para o tratamento efetivo, já que em muitos casos, é retirado o cisto no ovário e estruturas adjacentes a ele.

No artigo de hoje, vou focar somente na cirurgia para retirada de cistos funcionais e benignos de ovários. 

Quais são os sintomas do cisto no ovário?

A maioria das pacientes são assintomáticas, ou seja, não apresentam sintomas. 

O principal sintoma, quando presente, é a dor no abdome ou pelve. Algumas mulheres podem apresentar dor durante a relação sexual e também ao realizar exercícios físicos.

Quando muito volumosos, eles podem causar sintomas relacionados à compressão de estruturas adjacentes. 

Apesar disso, geralmente os cistos ovarianos não engordam! Isso só acontece em raros casos de cistos de ovário gigantes.

A cirurgia de cisto no ovário depende do tamanho? Quando operar?

Sim. Normalmente cistos maiores que 5 a 7cm devem ser operados, pois estes dificilmente desaparecerão sozinhos.

Além disso, ao atingirem esses tamanhos, há um maior risco de ruptura ou torção.

A torção ou ruptura do cisto provoca uma dor muito intensa e repentina na barriga que pode levar a uma cirurgia de urgência!

No entanto, cistos que surgem após menopausa merecem muita atenção, pois normalmente tem indicação cirúrgica, independente do seu tamanho!

Neste período, o ovário deveria estar em “repouso”, por não produzir mais óvulos, por isso a importância de afastar doença maligna. 

A cirurgia de retirada de cisto no ovário é perigosa?

Não. Quando bem indicada, a cirurgia de cisto no ovário não é perigosa.

Cada caso deve ser individualizado de acordo com a paciente, tipo de cisto e tipo de cirurgia.

Quais os riscos de uma cirurgia de retirada de cisto de ovário?

De um modo geral, existem os riscos gerais (para qualquer cirurgia) e os riscos específicos para retirada de cisto de ovário.

Em relação aos riscos gerais, inerentes a qualquer procedimento cirúrgico, destacam-se:  infecção, sangramento e riscos anestésicos. 

Em relação aos riscos específicos, podem ocorrer: lesão de vasos sanguíneos nobres (veias e artérias) e lesão de órgãos nobres (intestino, ureteres, bexiga). 

Pode ser necessário ainda a retirada completa do ovário (ooforectomia). Isto quando existem aderências complexas e inviabilidade na retirada somente do cisto de ovário, ou inexistência de tecido ovariano sadio após a retirada do cisto.

Por fim, pode ocorrer também a insuficiência ovariana prematura – quando a retirada do cisto provoca perda da função do ovário, não havendo mais produção hormonal (isso quando há apenas 1 ovário ou cistos bilaterais). 

Vale lembrar que o risco de complicações cirúrgicas é muito baixo e variam de acordo com a complexidade de cada cirurgia.

Qual os tipos de cirurgia para retirada cisto no ovário?

A retirada de cisto no ovário por ser feita por técnica convencional (laparotomia ou aberta) ou minimamente invasiva (laparoscopia ou robótica). 

A indicação do tipo de cirurgia varia de acordo com as características da paciente e do cisto.

Atualmente, a grande maioria dos casos é preferencialmente feita por laparoscopia, tendo em vista a facilidade e as inúmeras vantagens da laparoscopia. 

Qual o preparo antes de uma cirurgia de cisto no ovário?

É recomendada dieta leve no dia anterior a cirurgia e internação no hospital em jejum de pelo menos 8 horas, antes do procedimento. 

Além disso, é fundamental um preparo global da paciente, que consiste na avaliação da sua ginecologista, exames pré operatórios gerais (exame de sangue completo, raio X, eletrocardiograma), específicos (marcadores tumorais, por exemplo) e os exames de imagem (ultrassom transvaginal e/ou ressonância magnética de pelve). 

A avaliação é realizada para planejar a melhor abordagem cirúrgica e responder todas as dúvidas das pacientes. 

Um entendimento adequado da paciente sobre o pré, intra e pós operatório facilita muito a recuperação.

Qual anestesia é feita para a cirurgia de retirada de cisto no ovário?

A anestesia realizada para retirada de cisto no ovário por via abdominal convencional (aberta) é a raquianestesia.

Já para a realização de cirurgia laparoscópica, realiza-se a anestesia geral. 

Vale ressaltar que todos os casos são avaliados individualmente, podendo inclusive haver associação de dois tipos de anestesia a depender da situação. 

Como é feita a cirurgia de retirada de cisto no ovário?

- Videolaparoscopia: 

A ooforoplastia (retirada do cisto no ovário com preservação do ovário) ou ooforectomia (retirada do ovário) videolaparoscópica é a via de escolha para retirada de cistos nos ovários. 

Inicialmente, a paciente é anestesiada para não sentir nenhum tipo de desconforto. Após isso, é realizada a limpeza com soluções antissépticas, para diminuir o risco de infecção cirúrgica.

A partir dai, são realizados pequenos cortes entre 5 e 10mm no abdome (geralmente quatro).

É insuflado gás no interior do abdome e introduzida uma câmera com pinças que permitem a visualização dos órgãos e a realização da cirurgia de modo efetivo e delicado. 

Sempre que possível, retira-se o cisto do ovário sem rompê-lo. 

Ele será então introduzido em uma bolsa de plástico (endobag) e será rompido, para posterior retirada do abdome através dos pequenos cortes iniciais. 

Este tipo de procedimento protege os órgãos e a parede abdominal do contato com o líquido do cisto ovariano.

Após retirado, é realizada uma nova inspeção na cavidade abdominal para se certificar que todo o cisto foi retirado e se não há sangramento.

Após isto, as pinças são retiradas, o gás é desinsuflado e são realizados pontos na pele (normalmente 4) com fios absorvíveis.

Estes pontos são absorvíveis e não é necessária a sua retirada no pós operatório.

A cicatriz destes pontos é mínima e muito delicada. Esse é um tipo de cirurgia que promove uma recuperação mais rápida, menor tempo de internação hospitalar e menor sangramento. 

Contudo, só deve ser realizada por ginecologistas especialistas em cirurgia minimamente invasiva. 

- Cirurgia abdominal convencional (Aberta):

Este procedimento é indicado para mulheres com cistos muito volumosos que ultrapassam a linha do umbigo ou na inviabilidade da abordagem por laparoscopia.

A cirurgia abdominal convencional (aberta) é realizada através de um corte na barriga similar ao parto cesárea. O cisto ovariano é retirado por este mesmo corte.

Após isto, são realizados pontos para o fechamento deste corte. A cicatriz é semelhante a uma cicatriz de cesárea.

 

Qual as vantagens da cirurgia de cisto no ovário por videolaparoscopia?

A seguir, vou explicar as 10 vantagens da cirurgia de retirada de cisto no ovário por videolaparoscopia:

  • Menor dor
  • Menor cicatriz
  • Menor sangramento
  • Menor tempo de recuperação após a cirurgia
  • Menor tempo de internação hospitalar
  • Uso de menor quantidade de analgésicos no pós operatório
  • Retorno precoce às atividades habituais
  • Menor trauma cirúrgico
  • Menor agressão ao ovário (visão ampliada, permitindo cauterização do sangramento de forma pontual)
  • Menor risco de formação de aderências

Quanto tempo dura uma cirurgia de retirada de cisto no ovário?

Depende. O tempo de cirurgia varia de acordo com o tipo de cisto ovariano e seu tamanho. Em média, duram de 1 a 2 horas. 

Cistos simples e hemorrágicos são rapidamente aspirados e removidos. 

Já os teratomas podem demandar um tempo maior de cirurgia, pois possuem um conteúdo mais denso e trabalhoso para sua remoção. 

Os endometriomas também costumam demandar maior tempo de cirurgia, uma vez que sua presença está comumente associada a endometriose profunda.

Ele pode apresentar maior aderência entre outros órgãos adjacentes (útero, intestino, ureteres, nervos pélvicos), tornando o procedimento mais demorado. 

A cirurgia para retirada de cisto no ovário dói? 

Não. A cirurgia é um procedimento indolor devido a anestesia. 

No pós operatório imediato, é comum a sensação de estufamento e uma discreta dor na barriga. Esses sintomas são leves e facilmente controlados com medicações sintomáticas. 

É recomendado sempre que o paciente ande após a recuperação anestésica. 

Esta caminhada (com auxílio) melhora significativamente a liberação de gases, função intestinal e consequentemente o desconforto abdominal, além de evitar tromboses.

Qual o tempo de repouso após cirurgia de cisto no ovário?

Recomenda-se o afastamento do trabalho, atividades físicas intensas e relação sexual por 15 dias. 

Após a cirurgia, é recomendada a deambulação precoce para evitar tromboses. 

A recuperação após a cirurgia laparoscópica de cisto no ovário é tranquila e rápida. A maioria das mulheres recebem alta hospitalar no dia seguinte a cirurgia. 

As pacientes são liberadas para casa com medicações para alívio da dor, desconforto abdominal e enjôo.

É normal ter sangramento após cirurgia de retirada de cisto no ovário?

Sim, é normal ocorrer sangramento vaginal em pequena quantidade após a cirurgia. Este sangramento normalmente é limitado e desaparece em até uma semana.

É comum também um leve desconforto abdominal com sensação de estufamento e distensão da barriga. 

Com o uso de medicações sintomáticas estes efeitos colaterais são facilmente resolvidos, mas é importante saber que estes sintomas são normais nos primeiros dias após a cirurgia.

Quanto tempo depois da cirurgia de cisto no ovário posso ter relação?

Normalmente, é recomendada abstinência sexual por 15 dias após a cirurgia. 

No entanto, isso pode variar de acordo com a extensão do procedimento e da recomendação da sua ginecologista. 

Quanto tempo depois da cirurgia de cisto no ovário posso engravidar?

Isso depende do tipo de cirurgia e da sua extensão. Existem cirurgias de cistos mais simples e mais complexos.

De um modo geral, orienta-se aguardar uma nova menstruação após a cirurgia, para assim ser liberada para engravidar. 

No entanto, isso pode variar de acordo com cada procedimento e equipe médica. Desta forma, é importante sempre seguir as orientações da sua ginecologista.

Quais os cuidados depois de uma cirurgia de cisto no ovário?

De modo geral, orienta-se o repouso com afastamento do trabalho, evitar carregar peso, realizar atividades físicas intensas e abstinência sexual por 15 dias. 

Após a cirurgia, é recomendado higienizar os pontos com água e sabonete no banho, secar bem, a fim de evitar  a umidade local (o que favorece a infecção). 

Os pontos são absorvidos e não necessitam ser retirados.

No entanto, isso pode variar de acordo com cada equipe médica. Consulte sempre sua ginecologista e siga as suas orientações.

O cisto no ovário pode voltar após cirurgia?

Sim. Uma vez formado um cisto ovariano, há maior risco na formação de novos cistos. Isso acontece pela predisposição genética relacionado a maioria dos casos de cistos. 

Desta forma, é de suma importância o acompanhamento ginecológico pós operatório.

Ele é fundamental para identificar possíveis cistos de ovário e avaliar a prescrição de métodos anticoncepcionais anovulatórios.

Esta é uma tentativa de manter os ovários “em repouso”e assim evitar a formação de novos cistos de ovário. Entretanto, ainda não há comprovação científica sobre esse efeito. 

Onde fazer cirurgia de cisto no ovário por videolaparoscopia em São Paulo (SP)?

A cirurgia para retirada de cisto no ovário pode ser realizada na maioria dos hospitais em São Paulo (SP).

Recomenda-se sempre a definição em conjunto entre a paciente e equipe médica para escolher o local mais adequado para cada cirurgia. 

A minha equipe realiza esse procedimento nos principais hospitais particulares de São Paulo. Estamos a disposição para receber você em meu consultório.

Ele fica localizado no Jardim Paulista em São Paulo, próximo aos bairros: Jardins, Bela Vista, Pinheiros, Higienópolis e Liberdade.

Para entrar em contato clique aqui.

Quanto custa para fazer uma cirurgia de cisto no ovário?

O preço para realizar uma cirurgia de cisto no ovário varia de acordo com cada procedimento.

O valor depende principalmente do tipo de cirurgia (aberta, videolaparoscópica, robótica), do tipo de cisto no ovário e dos honorários da equipe médica.

Os endometriomas, por exemplo, podem demandar retirada de focos de endometriose para a excisão completa do cisto ovariano, tornando o procedimento mais complexo.

Para saber mais sobre valores de cirurgia de cisto no ovário, entre em contato com a nossa equipe.

Conclusão:

Neste artigo, reunimos o máximo de informações a respeito dos cistos de ovário: o que é , tipos de cisto e quando operar. 

Explicamos também as 10 vantagens do uso de videolaparoscopia para a retirada do cisto no ovário!

Detalhamos como é feita a cirurgia, seus riscos, tipo de anestesia, tempo de recuperação e as principais dúvidas sobre este procedimento.

Espero que eu tenha ajudado! Se tiverem alguma dúvida, deixem um comentário abaixo! 

Um beijo!

 

IMPORTANTE: Somente médicos devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. Agende uma consulta para maiores informações.

Compatilhe:

VoltarVoltar

0 Comentários

Seja a primeira a comentar!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Campos de preenchimento obrigatório marcados com asterisco.