Pre-loader
JUL 12

Histeroscopia Cirúrgica em SP: Tudo o que você precisa saber

0 comentários   |   Postado por Dra. Camila Bonacordi

Histeroscopia Cirúrgica em SP: Tudo o que você precisa saber

Agende uma consulta com a Dra. Camila para informações sobre os tratamentos mais indicados para o seu caso, dúvidas sobre histeroscopias cirúrgicas (retirada de mioma, pólipo endometrial, tratamento de espessamento endometrial).

Para contato, clique aqui ou no símbolo de Whatsapp ao lado.

A Dra. Camila Bonacordi é Ginecologista e Obstetra pela UNICAMP e Especialista em Cirurgia Ginecológica Minimamente Invasiva e Endometriose pelo Hospital Pérola Byington.

Seu atendimento é totalmente focado no bem estar e na saúde da mulher, incluindo consultas de rotina, orientações, tratamentos e cirurgias ginecológicas minimamente invasivas.

 

Introdução:

A histeroscopia cirúrgica é uma procedimento em que introduzimos uma câmera de fino calibre no interior da vagina, como se fosse uma “endoscopia” da região íntima. 

A principal indicação da histeroscopia cirúrgica é para o tratamento de lesões encontradas no interior do útero e colo uterino.

O que muitas pessoas não sabem é que diversos procedimentos podem ser realizados pela histeroscopia cirúrgica. 

Dentre os mais comuns, estão a retirada de pólipo uterino (pólipo endometrial e endocervical), retirada de mioma submucoso, correção de septo uterino, ablação endometrial, biópsia endometrial por espessamento endometrial ou sangramentos uterinos anormais.

Neste artigo, vou explicar tudo que você precisa saber antes de fazer a sua Histeroscopia Cirúrgica em São Paulo (SP).

 

O que é uma histeroscopia cirúrgica?

A histeroscopia ou videohisteroscopia diagnóstica é um procedimento em que visualizamos o interior do útero e do colo uterino através de uma câmera de aproximadamente 3-4mm.

Já a histeroscopia cirúrgica, é a realização de procedimentos para a retirada das alterações encontradas no exame diagnóstico.   

 

Para que serve a histeroscopia cirúrgica? 

Este procedimento é essencial para o tratamento de lesões no interior do útero ou colo do útero de maneira pouco invasiva.

Ele permite a identificação e retirada de pólipos uterinos (polipectomia), miomas submucosos, sinéquias uterinas, espessamentos endometriais, restos ovulares pós aborto, entre outros.

A grande vantagem é que não é necessário realizar cortes na barriga, nem tomar pontos. 

Todo o procedimento é realizado por dentro do útero.

Isso promove uma rápida recuperação da paciente e retorno precoce às atividades habituais. 

 

Qual a diferença entre histeroscopia diagnóstica e cirúrgica?

A histeroscopia diagnóstica é o exame que identifica as alterações dentro do útero (endométrio) e canal endocervical. 

Ela é indicada para investigação de sangramento após a menopausa, lesões identificadas ao ultrassom, avaliação da infertilidade, reposicionamento do DIU, entre outras.

A histeroscopia diagnóstica pode ser realizada no laboratório, geralmente sem anestesia, ou no centro cirúrgico com sedação (para não sentir dor). 

Já a histeroscopia cirúrgica, é a cirurgia para a retirada das lesões encontradas na histeroscopia diagnóstica. 

Necessita de uma maior dilatação do colo uterino para que uma câmera de maior calibre, acoplada a uma alça de ressecção, seja inserida para retirada de pólipos e miomas uterinos, biópsias do endométrio, entre outros.

 

Quando a histeroscopia cirúrgica é indicada?

  • Pólipo endometrial 
  • Pólipo endocervical (pólipo no colo uterino)
  • Mioma submucoso 
  • Espessamento endometrial após a menopausa 
  • Septo uterino 
  • Sangramento uterino aumentado (ablação endometrial)
  • Retirada de sinéquias (aderências no interior do útero)
  • Correção de istmocele (defeito na parede anterior do útero após cesáreas)
  • Retirada de restos ovulares pós aborto (persistente)
  • Retirada de corpo estranho (ex: DIU)

 

Qual o preparo para a histeroscopia cirúrgica?

O preparo é semelhante a qualquer outra cirurgia. 

É necessário que a paciente passe em consulta com a sua ginecologista, faça a avaliação completa e realize exames pré operatórios.

Após a paciente estar apta a realizar a cirurgia, o procedimento é agendado.

A paciente deve estar em jejum de aproximadamente 8 horas antes da cirurgia (a depender do combinado com a equipe médica) e não ter relação sexual no dia anterior. 

 

Qual anestesia é feita para a histeroscopia cirúrgica?

A anestesia varia de acordo com cada caso, mas de modo geral, pode ser feita a anestesia geral ou a raquianestesia para a videohisteroscopia cirúrgica.

A decisão do tipo de anestesia é individualizada de acordo com cada caso.

 

Como é feita a histeroscopia cirúrgica?

A histeroscopia cirúrgica é realizada no hospital em centro cirúrgico. 

A paciente é anestesiada e não sente nenhuma dor ou desconforto durante o procedimento.

Após a anestesia, a paciente é colocada em posição ginecológica e é realizada a antissepsia local (para diminuir o risco de infecção).

A câmera de fino calibre é introduzida por via vaginal e todo o trajeto é observado, a fim de se definir a estratégia cirúrgica. 

Após isso, é realizada a dilatação do colo uterino até 9mm de diâmetro com auxílio de materiais específicos, possibilitando a passagem da câmera acoplada a uma alça para a cirurgia. 

É importante ressaltar que todo o procedimento é realizado por dentro da vagina e útero. Desta forma, não é necessário realizar nenhum corte na barriga.

 

Coloquei abaixo um link de um vídeo do Youtube de como é feita a histeroscopia cirúrgica:

 

Qual as vantagens da histeroscopia cirúrgica?

  • Procedimento rápido (30 minutos a 1 hora)
  • Seguro
  • Indolor
  • Rápido retorno as atividades habituais
  • Baixo índice de complicações pós operatórias
  • Permite a visualização da lesão e tratamento guiado 

 

Quanto tempo demora a histeroscopia cirúrgica?

O tempo de cirurgia depende principalmente da patologia a ser tratada e seu tamanho, mas normalmente a duração é de até 1 hora.

Por ser um procedimento de rápida recuperação, algumas horas após o procedimento, a paciente é liberada de alta hospitalar.

 

Quais os riscos de uma histeroscopia cirúrgica?

  • Sangramento vaginal: principalmente em miomas submucosos
  • Perfuração uterina
  • Intoxicação hídrica: entrada de líquido em excesso, limite superior ao que o organismo conseguiria absorver
  • Lesão de bexiga ou intestino: evento muito raro, mas que pode ocorrer se houver perfuração uterina

 

Em quanto tempo sai o resultado da histeroscopia cirúrgica?

O resultado da biópsia varia de acordo com cada laboratório, mas é liberado, em média, entre 7 a 15 dias após a cirurgia.

 

A histeroscopia cirúrgica dói? 

Não, a cirurgia é realizada sob anestesia. O pós operatório pode causar cólicas abdominais leves, facilmente tratadas com medicações analgésicas. 

 

A histeroscopia cirúrgica altera o ciclo menstrual?

Não. A histeroscopia cirúrgica não interfere no ciclo menstrual das mulheres.

 

Como é a recuperação após uma histeroscopia cirúrgica?

A recuperação é rápida, de modo geral, as pacientes recebem alta hospitalar horas após a cirurgia. 

O tempo de afastamento do trabalho (atestado) dependerá do tipo de procedimento, mas não passa de 2 a 5 dias. 

 

 

É normal ter sangramento após histeroscopia cirúrgica?

Sim, a dilatação do colo uterino e a retirada da patologia do interior do útero podem provocar sangramentos de pequeno volume no pós operatório, mas que duram poucos dias. 

É comum também sentir um leve desconforto abdominal com a sensação de barriga inchada, mas que logo volta ao normal. 

 

Posso fazer histeroscopia cirúrgica menstruada?

Sim. Durante a cirurgia, a câmera inserida possui uma entrada de irrigação com soro e outra de aspiração.

Isto permite a lavagem da cavidade endometrial e possibilita a realização da cirurgia. 

 

Quanto tempo depois da histeroscopia cirúrgica posso ter relação?

De modo geral, é recomendada abstinência sexual por 14 dias. 

O ideal é seguir as orientações da sua ginecologista após o procedimento.

 

Quanto tempo depois da histeroscopia cirúrgica posso engravidar?

O ideal é aguardar 1 a 3 meses após a histeroscopia cirúrgica para engravidar. 

É importante ressaltar que nos casos de septoplastia, miomectomia, lise de sinéquias pode ser necessária nova histeroscopia diagnóstica em 30 a 60 dias.

Isto é necessário para evitar a formação de aderências no interior do útero. 

Além disso, alguns casos de miomectomia histeroscópica necessitam de 2 procedimentos cirúrgicos para sua retirada completa.

Portanto, é importante seguir sempre as orientações pós operatórias da sua ginecologista. 

 

Quais os cuidados depois de uma histeroscopia cirúrgica?

  • Afastamento do trabalho por 2 a 5 dias
  • Evitar atividades físicas por 7 dias 
  • Evitar banhos de mar, piscina ou banheira por 7 dias
  • Abstinência sexual por 14 dias 

 

Onde fazer histeroscopia cirúrgica em São Paulo (SP)?

A histeroscopia cirúrgica pode ser realizada na maioria dos hospitais em São Paulo (SP). O ideal é conversar com a sua ginecologista e combinar em conjunto o hospital de preferência. 

A minha equipe realiza a histeroscopia cirúrgica nos principais hospitais particulares de São Paulo.

Estamos a disposição para receber você em meu consultório, localizado no Jardim Paulista em São Paulo, próximo aos bairros: Jardins, Bela Vista, Pinheiros, Higienópolis e Liberdade.

Para entrar em contato clique aqui.

 

Quanto custa para fazer uma histeroscopia cirúrgica em São Paulo (SP)?

O valor para realizar a histeroscopia cirúrgica em São Paulo varia de acordo com cada equipe médica.

Para saber o preço da histeroscopia cirúrgica, entre em contato conosco. 

 

Conclusão:

Neste artigo, reunimos as principais dúvidas sobre a histeroscopia cirúrgica: o que é, indicações, complicações, diferenças entre a histeroscopia diagnóstica e cirúrgica. 

Mostramos como é realizada a histeroscopia cirúrgica, o tipo de anestesia, a recuperação e onde fazer em São Paulo. 

Se tiverem alguma dúvida, deixem um comentário abaixo! Será um prazer responder vocês!

Um beijo! 

 

IMPORTANTE: Somente médicos devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. Agende uma consulta para maiores informações.

Compatilhe:

Artigos

VoltarVoltar

0 Comentários

Seja a primeira a comentar!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Campos de preenchimento obrigatório marcados com asterisco.